Roteiro Chicago – Illinois, o que ver e fazer

Há quase um mês três amigas e eu decidimos conhecer Chicago em Illinois. Chicago não estava nos meus top destinos para visitar nos Estados Unidos, mas estou simplesmente apaixonada.

Cidade grande, populosa, LINDA, fácil de andar e entender e não dá para deixar de conhecer.

Fiz um resumo das minhas impressões, do que visitei e o que acho imperdível. Vem ver!

– Como chegar

Companhia aérea Spirit – (100 USD ida e volta). É uma ótima opção para nós au pairs, mochileiros e viajantes que precisam economizar, mas foi a minha pior experiência em viagem. O atendimento é péssimo, os aviões não são confortáveis e tem taxa até para respirar. Minha dica é levar uma mochila caso vá ficar pouco tempo, se não, pagar a carry on ou mala grande na hora em que comprar a passagem, porque no aeroporto é o dobro do preço, fazer check-in online e ficar de olho nas taxas que eles cobram de seguro e outras coisas.

O aeroporto de Chicago fica em torno de 24 km de distância de downtown. Dependendo do número de pessoas vale a pena pegar um táxi (35 USD + Taxa) que leva 30 minutos. Outra opção é ir de trem, que fica bem perto do aeroporto e leva uma hora.

– Transporte público e táxi 

Em Chicago existe um cartão chamado Ventra que é como um bilhete único de São Paulo. O cartão custa 5 USD, você carrega ele de acordo com o número de dias que vai ficar e pode andar pelo transporte público da cidade. O melhor é que pode passar quantas pessoas quiserem no mesmo cartão e quantos transportes públicos forem necessários. Pagamos 25 USD por três dias para nós quatro.

O táxi não é muito caro e vale a pena caso esteja com um número maior de pessoas. Não pagamos mais do que 5 USD por pessoa em nenhuma locomoção, tirando a do aeroporto – hotel.

– Hospedagem

Springhill Suites Marriot – (200 USD). Hotel maravilhoso, com café da manhã incluso, no coração de Chicago, perto de tudo, ótimo atendimento e conforto, mas caro. O bom é que ganhamos as hospedagens da host family (família americana) de uma das meninas e não precisamos gastar com isso. Mas a cidade tem muitas opções de hospedagem, então vale procurar um hotel mais barato ou um hostel.

– Onde comer

Chicago como qualquer cidade dos Estados Unidos é movida a fast food e não tem muito o que fazer, ainda mais se não quer gastar muito. Mas o hot dog e a pizza da cidade são famosos e diferentes. Não comemos o hot dog mas fomos experimentar a pizza no último dia da viagem no The Giordano’s.

Que pizza é essa? Parece uma torta de tão recheada e foi o mais parecido com a pizza do Brasil que eu já comi aqui. O restaurante tem fila de espera e a pizza demorou uma hora para ficar pronta, mas vale a pena esperar. Comemos uma brusqueta de entrada + a pizza de dez pedaços por 40 USD + Taxa, mais ou menos 14 USD para cada uma.

– O roteiro da viagem

PRIMEIRO DIA 

• Chicago Riverwalk – Uma orla de pedestres a margem do rio de Chicago com restaurantes, cafés, aluguel de barcos etc. Tanto a vista de cima das pontes quanto de baixo são lindas, vale uma caminhada por lá.

• Chicago Cultural Center – É um centro cultural/museu que apresenta eventos de música, dança e teatro, filmes, palestras e exposições de arte durante todo o ano. E o melhor, é de graça. Vale a visita mesmo que não esteja acontecendo nenhum evento. O prédio é lindo, histórico e tem duas cúpulas com vitrais incríveis em que as pessoas até deitam no chão para ter uma visão melhor.

• Millennium Park – É o parque público onde tem o The Cloud Gate, mais conhecido como The bean, escultura feita com 168 placas de aço inoxidável que reflete a natureza ao redor, que estava linda por causa do outono. No parque também tem a famosa The Crown Fountain, fonte criada com painéis de Led que exibe o rosto de pessoas (fechada no inverno).

• Grant Park – Outro parque público na zona empresarial central de Chicago e perto do Millennium Park. A atração mais famosa do parque é a Buckingham Fountain, uma fonte que jorra água a até 45 metros de altura e é uma das maiores do mundo. Ela funciona de abril a outubro e infelizmente estava fechada, pois está chegando o inverno. O parque também é limitado pelo Lago Michigan, um lago imenso e com uma cor linda mesmo com o dia cinza. Ficaria sentada lá por horas.

Wendella Boats Tour – Sou apaixonada por tudo que envolva água, então precisava fazer um dos vários tours de barco que Chicago proporciona. Acabamos fazendo o tour de arquitetura a noite com duração de 75 minutos (36 USD) e foi a melhor coisa que fizemos. Já havíamos andado pela Riverwalk e tido a visão de Chicago de dia, mas ver a noite e do meio do rio foi incrívrel, mesmo com a sensação térmica de 1ºC que estava. Achei que iria ser chato por não entender nada de arquitetura, mas as informações são muito interessantes.
Tem a opção de um tour mais longo pelo mesmo preço e que vai até o lago Michigan e para quem quer economizar, um tour de apenas 19 USD mas que funciona apenas no verão.

SEGUNDO DIA

Skydeck (Willis Tower) – É o maior prédio da América do Norte, ultrapassando o Word Trade Center, o Empire State Building e até a Torre Eiffel na França. 108 andares (103 até o observatório), 442 metros de altura (412 até o observatório), uma vista maravilhosa e uma das principais atrações de Chicago. (19 USD)
Dá um medo quando você entra na caixa de vidro e olha pra baixo, mas vale cada segundo, cada sensação.
Talvez seja melhor visitar o prédio durante a semana. Fomos no sábado e o prédio estava lotado de turistas, com espera de 2h.

 • 360º Chicago – Outro observatório no 94º andar de um prédio, a 300 metros de altura e com visão de 360º do trecho mais glamouroso da cidade e das praias (20 USD) . A diferença é que neste prédio tem o TILT, uma janela que inclina para fora do prédio (7 USD). Eu já tinha me acostumado com a altura do Skydeck, então esse foi mais tranquilo, mas não menos incrível.

• Water Tower – Prédio que se destaca no meio da modernidade de Chicago e um dos únicos sete que sobreviveram ao grande incêndio que destruiu a cidade em 1871. Fica do lado do 360º e também vale a visita.

20151107_160327

• Navy Pier – Pier cercado por lojas, parques, jardins, restaurantes e de frente para o lago Michigan.

• Jogo NBA Chicago Bulls – Não sei porque, mas eu e meus irmãos, quando eramos crianças, tínhamos bonés do Chicago Bulls e sempre dizíamos que era o nosso time, mas nunca imaginei que um dia estaria lá assistindo ao jogo tão de perto. Por sorte, no final de semana aconteceu o jogo da NBA Chicago Bulls x Minnesota Wolves e tive o grande prazer de viver isso. O jogo não é barato, 50 USD na parte mais alta, mas valeu cada centavo. É possível ver bem até do pior lugar e foi mais um dos momentos em que eu me senti dentro de um filme.

– Faltou ver

PB Pedestrian Bridge – Ponte de aço que liga o Maggie Daley Park ao Millennium Park.
The Art Institute Of Chicago
Museu de arte que fica no final do Millennium Park. (18 USD)
Chinatown.
Old Town – Bairro histórico de Chicago onde tem um dos mais antigos prédios da era vitoriana.
Gold Coast – Outro bairro histórico onde se encontra as praias de Chicago.
Lincoln Park Zoo – Considerado um dos melhores e mais antigos zoológicos dos Estados Unidos. (Entrada gratuita).
Lincoln Park Conservatory – Uma fuga natural dentro da cidade que exibe plantas exóticas e flores. (Entrada gratuíta).
• Shedd Aquarium.
• Mais museus – The Oriental Institute, Smart Museum of Art, National Museum of Mexican Art, Museum of Contemporary PhotographyScience and Industry MuseumAdler Planetarium.

– Compras

Para quem vai viajar e não pode deixar de ir às compras, Chicago também é o lugar certo: Target, T.J Maxx, GAP Gucci, Ross, Nordstrom Rack, Macy’s Apple Store, Best Buy etc.

– Mais dicas
• Para economizar, vale tomar um café da manhã reforçado, ainda mais se estiver incluso na tarifa do hotel como no meu caso. Outra coisa é comprar água e snacks e deixar na bolsa e no quarto caso bata uma fome de repente.
• Andar a pé é sempre uma boa opção em viagens, pois sempre tem um prédio, uma paisagem ou alguma coisa que você não conseguiria ver tão bem se estivesse de táxi ou no metrô/ônibus. Ainda mais em Chicago que tem muita coisa perto uma da outra.
• Em dois dias dá pra fazer muita coisa, mas acredito que quatro dias é o suficiente para curtir e conhecer a cidade sem pressa.
• Nesse tempo gastei em torno de 300 USD (isso porque moro nos Estados Unidos), mas é bom levar mais dinheiro caso alguma coisa fora do previsto aconteça.

– Mais Chicago

Anúncios

2 comentários sobre “Roteiro Chicago – Illinois, o que ver e fazer

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s