Intercâmbio: O processo

Iuhul! Tenho novidade e uma nova categoria nascendo por aqui: Intercâmbio.

Sim! Finalmente eu vou viajar e realizar um sonho antigo. Sempre tive vontade de morar fora do Brasil mas passei anos adiando por medo, desculpas ou conveniência. Mas dessa vez, partiu!

Eu estou indo como au pair e o processo com a agência de viagem é bem longo e burocrático. Eu tinha/tenho muitas dúvidas e olho milhões de blog das meninas que são ou já foram au pairs para me ajudar. Tem muita coisa na internet, mas cada processo e história acontece um jeito. Então vou contar o meu aqui também e espero poder ajudar alguém que compartilha do mesmo sonho.

Au Pair

POR QUE SER AU PAIR?

Muita gente faz intercâmbio só para estudar, mas na minha opinião é uma viagem cara. Uma amiga foi recentemente passar um mês no Canadá e desembolsou 10 mil reais mais as despesas extras do dia a dia. Outra passou seis meses na Austrália e a coisa passou dos 30 mil reais. O que para mim não é nada viável.

Fazer intercâmbio como au pair envolve trabalho, bolsa de estudos e viagens e tem um ótimo custo benefício.

Veja o salário e os benefícios de ser uma au pair aqui!

Veja também os requisitos para ser au pair aqui!

A ESCOLHA DA AGÊNCIA DE INTERCÂMBIO

Escolhi três agências que tem o programa au pair: CI, STB e Cultural Care. Cheguei a ligar para a STB umas três vezes, mas nunca me mandaram um e-mail, um retorno ou qualquer coisa. Então descartei. Com as duas que sobraram ponderei algumas coisas e acabei escolhendo a Cultura Care.

Os motivos da minha decisão foram:

• A mesma agência no Brasil e nos EUA – A Cultural Care é a agência das au pairs no Brasil e nos Estados Unidos. Enquanto as outras agências são divididas, cuidam do procedimento no Brasil e quando você chega lá te passam para outra agência. São agências diferentes que trabalham juntas, cada uma no seu país.

• Processo rápido – A Cultural Care tinha o procedimento mais rápido perto das outras. O fato de ser a mesma agência no Brasil e nos EUA facilita isso. A Cultural Care me deu uma média de 4 meses para viajar, enquanto as outras de 6 a 8. No meu caso, eu não podia esperar tanto, mas isso varia de acordo com a necessidade de cada um.

• Agência popular – A Cultural Care era a agência mais conhecida para mim. Conheci pessoas que viajaram por ela e tinha informações da agência já há alguns anos.

O preço não foi um fator decisivo mesmo porque de todas as agências, acho que a Cultural Care é uma das mais caras.

O PROCESSO

A agência te dá o passo a passo de todo o processo e as taxas a serem pagas.
Você pode ver tudo mais detalhado aqui!

Mas vou dizer que a coisa é mesmo burocrática. Eu queria ir viajar rápido, sou super organizada e dedicada com as minhas coisas. Mas tem hora que não tem o que fazer.

Além disso, cada etapa do processo é uma ansiedade e um medo.

O meu processo aconteceu assim:

• Separar documentos para enviar a agência
Status: Ok.
Data: 17/06/2015

Demorei uma semana mais ou menos para fazer tudo isso. É uma etapa tranquila mas dá um trabalhinho porque você precisa ir ao médico, ir atrás de um ou outro documento (tipo carteirinha de vacinação. Cadê você, minha filha?), e no meu caso tirar passaporte que ainda não tinha.

• Entrevista pessoal e teste de inglês com a agência
Status: Pânico nº1.
Data: 17/06/2015

Meu perfil foi aceito na entrevista pessoal e não passei no teste de inglês. Fiquei muito nervosa porque o meu inglês não é um dos melhores e não estou nada acostumada a conversar em inglês. Imagina conversar sobre primeiros socorros? Ferrou! O bom é que temos três chances de fazer esse teste e um tempinho entre um e outro para estudarmos mais.

• Reteste de inglês
Status: Pânico nº2.
Data: 01/07/2015

Como não tinha passado no primeiro, fui para o reteste muito mais nervosa. Mas dessa vez consegui passar.

Li em alguns blogs que o teste era fácil até pra quem tinha o inglês básico, que a agência só fazia umas 10 perguntinhas tipo “Qual é o seu nome?”, “Qual a sua idade?”, “Como é a sua família?”. Eu fiquei exatamente uma hora conversando com a minha coordenadora e conheci outras meninas na agência que só foram passar no terceiro reteste (ou no quarto reteste, que nem existia) e que também acharam uma das fases mais difíceis do processo. Então não sei o que aconteceu com vocês, amigas sortudas desse meu Brasil.
E isso não vale para você que estudou seis anos da sua vida, tá? Vai na fé que você vai passar de primeira.

• Preenchimento do application
Status: Paciência, ativar!
Data: 01/07/2015

O app é um formulário bem grande e é preciso ter muita paciência e dedicação. Tanto que demorei exatos 17 dias para deixar ele bonitinho, revisado e submeter para a agência.
Ele é importante porque é através dele que a família vai te conhecer e saber tudo sobre você. Dá trabalho, mas quando finalizei fiquei tão feliz de ver minha vida inteira ali, desde a infância, e ver quantas coisas legais eu já fiz e aprendi nessa vida. Isso é motivador.

• Referências de trabalho com crianças e referências pessoais
Status: Ok.
Data: 01/07/2015

Mandei para a agência duas referências pessoais e uma de trabalho com crianças: Meu professor da faculdade, minha ex-chefe e minha ex-supervisora de trabalho em uma escola infantil. Essas três pessoas são muito parceiras e estavam dispostas a me ajudar.

• Gravar o vídeo para o application
Status: Dá pra pular essa parte?
Data: 06/07/2015

Eu fico tão torta e tão tímida na frente de uma câmera que o meu primeiro pensamento foi: “Acho que uma família americana pode gostar de mim sem um vídeo. Vlw, flw” haha.
Só que não. As famílias dão prioridade para os apps que tem vídeo, então eu fiz um superesforço e fiz. No final adorei o resultado.
O vídeo precisa ter até 3 minutos e ter no máximo 100MB. Nele você tem que contar sobre você, mostrar você dirigindo, cozinhando, fazendo coisas que gosta. É um resumão do app em forma de vídeo.
Antes de gravar pesquisei alguns vídeos para me inspirar. Vi desde megaproduções até vídeos simples mas que deram certo do mesmo jeito. Então faça o que você sabe e o que pode para ser o melhor possível, mas não se apega a câmeras profissionais, fotógrafos e cenários de Hollywood. Eu me virei muito bem com a minha irmã, meu celular e com a pracinha aqui da esquina de casa.

• Application online para as famílias
Status: Pânico nº 3.Tava” mais legal quando tudo dependia de mim.
Data: 03/07/2015

Eu esperei tanto por esse momento, tinha acabado a correria e agora eu só precisava esperar uma família entrar em contato comigo. Mas o difícil é que as coisas já não dependem mais de você. Além disso, as coisas variam tanto de pessoa pra pessoa que realmente não tem nem como ter uma ideia de tempo. Conversei com meninas que receberam o contato de uma família em uma semana, outras em um mês e outras só depois de quatro meses.

Agora eu vou falar que eu fiquei exatos cinco dias online e uma família me mandou um e-mail. Que felicidade!

Cidade: Arnold, MD
Kids: Um menino de 4 anos, outro de 2 e um recém-nascido (Alô, testosterona).
Conversa: 30 e-mails e 2 Skypes (Pânico nº 4. Conversar com a família por vídeo).

OBS: A escolha da família tem que acontecer das duas partes. É um momento importante porque é o lugar onde você vai morar por no mínimo um ano e para eles você é a pessoa que vai entrar na casa e na vida deles.
Essa é mais uma etapa muito relativa e pessoal. Então, faça uma lista com os seus objetivos e encha a família de perguntas para saber se as coisas batem.

• Match
Status: Não acredito!
Data: 15/07/2015

Tudo aconteceu muito rápido pra mim, assim como eu queria (Força do pensamento existe, minha gente!). Meu primeiro contato com a agência foi mais ou menos dia 10/06, no dia 15/07 eu já tinha um match e minha viagem está marcada para o dia 30/08. Eu ainda queria viajar antes, mas hoje vejo que realmente não daria tempo de fazer as coisas.
Agora, depois do match, a correria está de volta.

• Tirar o PID (Permissão Internacional para Dirigir)
Status: Ok.
Data: 17/07/2015

Tirar esse documento é bem fácil. Fui no Poupatempo/Detran e não fiquei nem 20 minutos lá. O melhor é que em três dias meu PID ficou pronto.

• Visto Americano
Status: Paciência e Pânico nº 5.
Data: Várias

Para tirar o visto precisa de tantos documentos e preencher tanta coisa que haja paciência. Isso todo mundo sabe, né? Nem preciso dar detalhes. E o pânico estava de volta porque se meu visto fosse negado, adeus todo esse processo anterior que eu contei até aqui. Simplesmente não viajaria. Mas deu tudo cert and… I got my Visa!

• Exame de tuberculose
Status: Juro que não tenho.
Data: 22/07/2015

O exame é bem rápido de fazer e é importante para entrar nos Estados Unidos. Além disso, você pode descobrir que tem escoliose nas costas… tipo eu haha.

Muita coisa no processo acontece simultaneamente. Eu estava separando documentos, tirando passaporte, estudando para o reteste de inglês, preenchendo o application e criando o roteiro do meu vídeo ao mesmo tempo. Mas essa sequência existe para dar continuidade nas coisas. Você não pode ficar online para as famílias sem ter entregue todos os documentos, ou sem ter passado no teste de inglês, por exemplo.

Além de todas essas etapas, ainda tem muitas palestras obrigatórias que você tem que fazer entre um processo e outro e um curso de aproximadamente 8 horas antes de viajar. O bom é que essas palestras e o curso podem ser feitos online. Não ter que ficar indo na agência para resolver as coisas ajuda muito.

Anúncios

2 comentários sobre “Intercâmbio: O processo

    • Oi, Karine.
      O meu reteste foi bem parecido com o primeiro.
      Falei sobre infância, estudos, profissão, hobbies, relacionamento com a minha família, o que eu espero do ano como au pair, o que eu quero fazer quando voltar, experiência com crianças, experiência dirigindo e cozinhando. Também teve coisas de primeiros socorros e situações de emergência, como, por exemplo, o que você faria se uma das suas kids chegasse da escola com febre ou se você batesse o carro da família com as kids dentro.

      Você já preencheu seu application e já fez a carta para as famílias? Se sim, estuda todas as perguntas do application, lê bastante a carta e estuda situações de primeiros socorros. O reteste é basicamente isso… você contando todo o seu application.

      Se conseguir fazer perguntas pra sua coordenadora também ajuda. Ela já foi au pair e você pode perguntar “me conta alguma situação de emergência que já aconteceu com você?”

      Espero ter ajudado 🙂

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s